Piton, pirarucu, couro exótico, python

 

 

Sobre matéria prima

 

Todo manejo dessas peles é certificado e controlado pelo IBAMA.

O fabricante deve ser certificado pelo órgão.

Esse é o novo luxo, isso é a moda ética, onde resíduos são transformados em moda. A utilização do couro exótico em escala industrial evita a emissão de várias toneladas de resíduos sólidos na natureza, minimizando o impacto sobre ela. As peles são curtidas e acabadas seguindo as normas REACH – controle de substâncias restritivas.

1)Piton : As peles de piton são do Sudeste Asiático. Cada país possui uma cota de abate de animais estabelecida pela CITES*, depois disso se resolve a quantidade de peles que podem ser exportadas. Pitons são capturadas em fazendas credenciadas, que possuem suas cotas estabelecidas conforme o tamanho e quantidades disponíveis. São abatidas em frigoríficos certificados e toda carne é consumida, sendo tradicional o consumo de carne de cobra na Ásia.

2)O jacaré-do- Pantanal, Caiman yacare faz parte de um programa de conservação do Pantanal Mato-grossense. Neste programa os animais são criados em cativeiro pelo sistema ranching, com coleta de ovos na natureza, posterior incubação e criação em sistema fechado, depois de nascidos um percentual deles devolvido a natureza ajudando assim na conservação da espécie. Os animais  são abatidos em frigoríficos certificados e toda carne é consumida.

3)Peixe Pirarucu : é a espécie mais representativa da Amazônia,  é prato  tradicional da culinária local, peixes abatidos tem 100 % da carne consumida, sendo as peles subproduto da indústria pesqueira, fazendo com que a renda da comunidade ribeirinha seja aumentada com seu comércio. Tem manejo sustentável e controlado.